Your skin - hands skin colors

A pele tem uma cor natural, independentemente da exposição ao sol: é a sua pigmentação.

Essa cor depende das células da pele chamadas melanócitos, que têm a particularidade de produzir pigmentos conhecidos como melanina. Essa melanina, presente na pele, assegura a proteção natural contra os raios ultravioleta (UV) emitidos pelo sol.

Woman checking her skin in a mirror

Existem 2 tipos de melanina:

  1. A eumelanina
    Mais conhecida pela designação de “verdadeira melanina”, é de cor negra ou castanho-escura, e está presente nas pessoas de pele escura (de modo a protegê-las dos raios UV).
  2. A feomelanina
    Também denominada “melanina vermelha ou ruiva”. Está presente nas pessoas de pele clara e nos ruivos (não protege dos raios UV, pelo contrário, a sua síntese gera radicais livres, agressivos para a pele).

    Uma proporção variável destes dois tipos de melanina está presente em cada indivíduo. Determina a cor natural da pele e o bronzeado produzido pela exposição ao sol.

Como funciona a pigmentação?

A pigmentação resulta de um processo complexo que se divide em quatro etapas:

Step 1

1/ Os raios ultravioletas e os mediadores biológicos (substâncias presentes nas células da pele) estimulam o processo da pigmentação e, portanto, a função produtora de melanina nas células denominadas melanócitos.

Step 2

2/ A melanina é produzida pelos melanócitos.

Step 3

3/ A melanina assim produzida é distribuída através das duas camadas da epiderme.

Step 4

4/ Em seguida, migra para a superfície da pele, através da renovação contínua de células na epiderme.

Manchas relacionadas com a exposição solar e a idade

Os raios UV atravessam a epiderme e estimulam as células  pigmentárias da pele (melanócitos). Alguns melanócitos são perturbados em permanência e começam a segregar grandes quantidades de melanina de modo contínuo. As manchas aparecem quando a produção de melanina aumenta de maneira anormal, e quando a melanina produzida em excesso não é distribuída uniformemente sobre a superfície da pele. Isso faz com que ela se acumule em certos pontos e forme manchas inestéticas.

A exposição excessiva ao sol (muito intensa ou muito longa), ao longo do tempo, resulta na produção excessiva de melanina, que se traduz na formação de manchas ou “lentigos” (manchas pequenas, redondas e planas, de tamanho variável)

É por isso que as pessoas que trabalham ao ar livre (na marinha, construção civil, etc.) tendem a desenvolver essas manchas mais cedo do que outras pessoas.

Além disso, o risco de hiperpigmentação aumenta com o envelhecimento celular e afeta geralmente as áreas mais expostas ao sol, ao longo do tempo (rosto, pescoço, mãos, etc.). O sol e a idade são as principais causas de manchas pigmentárias. Esse fenómeno chama-se ”lentigo solar” ou “lentigo senil”. O lentigo afeta 90% das pessoas brancas com mais de 50 anos de idade. Todos os tipos de pele são afetados.

As alterações hormonais resultantes da gravidez ou de  contracetivos orais também podem causar hiperpigmentação.

Nas mulheres de cabelos castanhos (com pele mate), as alterações hormonais podem levar ao aparecimento de uma máscara acastanhada no rosto, denominada "melasma" ou "máscara da gravidez". Trata-se de manchas localizadas parte superior do rosto, não atingindo o contorno do couro cabeludo, que se acentuam no verão. A sua cor é variável e escurece sob a ação da radiação ultravioleta.

Esta pigmentação comum aparece repentinamente, mas diminui ou desaparece completamente após as hormonas regressarem à normalidade (após o nascimento de uma criança, por exemplo). No entanto, pode persistir uma pigmentação residual por mais alguns meses, ou mesmo mais alguns anos.

Em certos casos, a "máscara da gravidez" aparece, por vezes, mesmo na ausência de gravidez ou de contraceção oral.

Woman taking medication
Manchas relacionadas com substâncias fototóxicas e lesões da pele

Quando expostas ao sol, certas plantas (essências vegetais), certos perfumes ou medicamentos podem desencadear o aparecimento de manchas castanhas, resultantes de uma reação de fotossensibilização (fototoxicidade).
Além disso, a pele danificada ou com cicatrizes (sequelas de queimaduras, escaldões, cicatrização de lesões inflamatórias, particularmente lesões de acne) desenvolve marcas de pigmentação mais facilmente se exposta aos raios UV.

A melhor solução é aplicar um fotoprotetor sistematicamente, nos meses mais ensolarados, além de adotar um comportamento responsável em relação ao sol.

  • Proteja-se do sol para evitar que marcas de pigmentação apareçam ou piorem. Evite o sol quando os raios forem mais perigosos, ou seja, entre as 10 e as 15 horas.
  • Escolha sua proteção solar com cuidado. O seu fator de proteção solar (SPF) deve ser de pelo menos 20 (ou 30 se tiver uma pele clara).
  • Tome suplementos alimentares por via oral (cápsulas ou comprimidos) antes e durante a exposição, para preparar melhor a sua pele para o sol.

Nunca exponha bebés ao sol. Proteja as crianças usando roupas e um protetor solar especial: 80% dos problemas de pele resultam da exposição ao sol antes dos 18 anos.
 

Para um problema de pigmentação existente, a sua pele poderá melhorar se aplicar sistematicamente um fotoprotetor durante 2 a 5 anos, de abril a outubro. De fato, é o sol que ativa a pigmentação; portanto, proteger-se sistematicamente dos raios UV pode ajudar a corrigir a situação.

Bioderma - Woman protecting from the sun

Use produtos de higiene especialmente formulados para a pele com problemas de manchas.

Woman washing her face with water

Os cuidados de proteção solar funcionam preventivamente, mas podem também afetar manchas já existentes, a não ser que seja paciente e regular na sua aplicação.

Para ajudar a reduzir essas manchas de pigmentação inestéticas ​​e uniformizar a pele, aplique cuidados despigmentantes que respeitem a sensibilidade da sua pele.

Woman applying cream