Red, Scaly Skin

A dermatite seborreica é uma condição inflamatória e de descamação da pele que afeta principalmente o rosto e o couro cabeludo.

As áreas afetadas do rosto são principalmente as áreas oleosas (ricas em glândulas sebáceas) de ambos os lados do nariz, as dobras das narinas, as dobras naso-labiais, a área entre as sobrancelhas e as próprias sobrancelhas e os canais externos das orelhas. O couro cabeludo é a principal área onde esta patologia se desencadeia e está na origem da caspa inflamatória que se estende para além do couro cabeludo. Outras zonas pilosas podem ser igualmente afetadas, como as pálpebras (causando a blefarite) e o púbis, bem como a zona da barba ou do peito nos homens. 

Dandruff and scales

No couro cabeludo, as películas são muitas vezes amareladas e oleosas, pouco ou nada aderentes à pele. A extensão da patologia ultrapassa muitas vezes a área de implantação dos cabelos, na testa. Para mais informações, consulte aqui a secção «Caspa e descamação» do cabelo e couro cabeludo.


A dermatite seborreica progride em episódios intercalados com períodos de remissão total ou parcial. As crises inflamatórias podem ser determinadas pelas estações do ano e pelo stress. Os sinais clínicos aumentam frequentemente no inverno. 
Os sintomas variam, mas frequentemente verifica-se a ocorrência de prurido ou uma sensação de queimadura.

Quem é afetado pela DS ?

É uma condição frequente nos adultos (afeta 3% da população), especialmente jovens adultos, mas também afeta muitas vezes bebés (71%), embora apenas temporariamente. As "crostas lácteas”, em bebés, são uma manifestação de dermatite seborreica.

 

 

Quais são as causas da DS ?

Enquanto algumas condições específicas favorecem o aparecimento repentino da dermatite seborreica, os sintomas aparecem geralmente em adultos jovens e saudáveis.

Há vários fatores responsáveis:

Sebaceous gland
A quantidade de sebo
Immunity
Leveduras de Malassezia (fungos) na pele dos indivíduos (flora saprófita) A resposta imunitária da pessoa afetada às leveduras que irritam e inflamam a pele.

A natureza crónica e recorrente da dermatite seborreica, que provoca vermelhidão no rosto, com ou sem descamação e/ou caspa, é uma fonte significativa de desconforto para as pessoas afetadas. Esse desconforto é social e funcional (prurido, sensação de queimadura, etc.).

 

Como reconhecer a psoríase ?

A psoríase é uma doença de pele crónica não contagiosa, que afeta 2/%  a 3% da população e pode manifestar-se em qualquer idade. Fatores desencadeantes específicos podem revelar um perfil geneticamente predisposto, bem como favorecer o aparecimento de lesões.

As placas da psoríase são vermelhas (eritematosas) e estão cobertas com espessas escamas esbranquiçadas. São muito claramente definidas em comparação com a pele saudável. 

As áreas mais tradicionalmente atingidas são os cotovelos e os joelhos (áreas afetadas por microtraumas), mas qualquer parte do tegumento pode ser afetada. O couro cabeludo é uma das áreas mais frequentemente afetadas (principalmente a área occipital). Quando a psoríase atinge as dobras da pele (virilha, axilas, etc.), estamos a falar de psoríase inversa, que é muito menos escamosa.
Por vezes, as unhas são igualmente afetadas de várias formas (espessamento, corrosão, deformações).
Às vezes, a psoríase aparece na pele como pequenas placas “em gota”, ou sob a forma de pústulas sobre um fundo de eritema (vermelhidão).

Scratching


Prurido ou até a sensação de queimadura podem ser sentidas nas dobras da pele. A psoríase pode ter um grande impacto na qualidade de vida, especialmente se for generalizada ou encontrada em áreas particularmente embaraçosas ou invisíveis.
Além de afetar a pele, a  psoríase também pode causar problemas reumáticos.feta cerca de 25% das pessoas com problemas de pele. Este reumatismo psoriático pode ser axial (coluna vertebral) ou periférico (especialmente nas articulações das falanges).

Quem é afetado pela psoríase ?

A psoríase afeta homens e mulheres de todas as idades. No entanto, num terço dos casos começa antes dos 20 anos e aparece frequentemente entre os 20 e os 40 anos.

 

O que causa a psoríase ?

A psoríase afeta a família em 30 a 40% dos casos. A transmissão envolve vários genes (multigénico) e não é sistemática.

Localmente, na pele, a renovação epidérmica acelerada faz com que apareçam placas. Com essa predisposição, certos fatores desencadeantes são claros:

Sun
Alterações climáticas períodos frios em particular
Microbiomy
Fatores infecciosos especialmente rinofaríngicos
Stress
Stress psicológico a pele está sob a influência de neuromediadores e é , neste caso, "muito reativa"
Body areas
Traumas locais queimaduras, fricção e, sobretudo, coçar excessivamente
Pills
Certos medicamentos antimaláricos sintéticos, certos medicamentos para hipertensão, sais de lítio, alguns colírios específicos, etc.
Doctor with patient - Prescription

Os médicos estão familiarizados com esses medicamentos e não há necessidade de interromper um tratamento benéfico se a responsabilidade dos mesmos não tiver sido comprovada.

Certas doenças e hábitos tóxicos, embora não sistemáticos, são frequentemente detetados em pacientes com psoríase: o  síndrome metabólico (vários sinais, incluindo excesso de peso, hiperlipidemia, hiperglicemia e tensão alta), consumo excessivo de álcool e tabaco.

Em caso de vermelhidão e descamação, consulte o seu dermatologista para que ele possa confirmar o diagnóstico e indicar se sofre de dermatite seborreica, psoríase ou outra condição.

Doctor with a patient in a medical office

Em alguns casos, o médico procurará a causa do aparecimento da dermatite seborreica. Na grande maioria deles, o médico prescreverá tratamentos adequados, geralmente antifúngicos. Pessoas com dermatite seborreica devem utilizar produtos não irritantes, compreender a sua natureza crónica e recorrente e, portanto, aceitar a necessidade de tratamentos de manutenção.

Os tratamentos antifúngicos utilizados são champôs ou cremes para o rosto. Em certos casos, utiliza-se igualmente o lítio sob a forma de gel. Deve evitar-se o uso de cremes com cortisona no rosto, porque, embora proporcionem um alívio rápido, aumentam a sensibilidade da pele e, a médio prazo, têm um efeito muito negativo.

Doctor with a patient in a medical office

O médico avaliará primeiro a gravidade da psoríase, as suas repercussões e se há, ou não, uma síndrome metabólica ou consumo excessivo de álcool ou tabaco. Verificará se há, ou não, reumatismo associado e se existe um fator desencadeador ou facilitador.


É fundamental parar de coçar, pois promove a formação de placas.
Parar a utilização de fatores tóxicos (álcool, tabaco) é mais do que desejável.
Poucos casos de psoríase resistem à terapia, pois existe uma grande variedade de tratamentos adaptados às várias formas.
Felizmente, porém, a maioria dos casos de psoríase são de grau reduzido a moderado, que não requer tratamentos "fortes". Nesse sentido, os tratamentos locais são geralmente suficientes, mas precisam de ser aplicados regularmente, dado que esta é uma condição crónica. Se o tratamento for interrompido, as lesões reaparecem.
 

Os tratamentos locais incluem corticóides e derivados da vitamina D. É fundamental hidratar a pele diariamente com cremes, para limitar a recorrência, pois  a secura cutânea facilita o seu reaparecimento. No couro cabeludo, as películas podem ser reduzidas com um tratamento queratolítico (ácido salicílico, ureia).
Os tratamentos geralmente utilizados incluem fototerapia, aplicada por um dermatologista, retinóides, metotrexato, ciclosporina e medicamentos biotecnológicos.

Doctor with a patient in a medical office

É importante lembrar que a DS e a psoríase não são doenças contagiosas. A primeira linha de prevenção é limitar fatores que desencadeiam ou facilitam estas condições, como coçar, que favorece a descamação e produtos irritantes ou inadequados.

Para a psoríase, devem também evitar-se as variações de temperatura e o frio.

 As duas doenças melhoram geralmente com a exposição ao sol e a natação, no mar. Apesar da DS e a psoríase serem difíceis de curar completamente, não se deve ceder ao desânimo. Devemos lembrar-nos de que o tratamento regular proporciona a remissão prolongada dos sintomas, melhorando consideravelmente a qualidade de vida.

Bioderma - Woman protecting from the sun

Utilize um produto de limpeza suave e de alta tolerância, sem perfume, sem conservantes e sem surfactantes.
Seque o rosto com cuidado, sem esfregar. Para saber mais sobre os cuidados com os cabelos e o  couro cabeludo, em caso de DS ou psoríase, clique aqui.

Woman washing her face with water

A hidratação é essencial em caso de descamação. Uma ou duas vezes ao dia, aplique suavemente um produto de alta tolerância, que combata as reações inflamatórias. Não deve ter perfume, conservantes, nem surfactantes.

Pode aplicar uma máscara hidratante intensa, uma ou duas vezes por semana. Depois de ver melhorias, é importante continuar a aplicação por vários meses, porque a inflamação persiste durante bastante tempo, mesmo que não seja visível.

Se tem psoríase, necessita de controlar a secura da pele causada pelo frio do inverno, e de redobrar os esforços para manter a pele hidratada, da cabeça aos pés.

Bioderma - woman applying cream on the face